Home Notícias Brasil e Mundo Em reunião, Doria tem diagnóstico da Educação, Segurança e Fazenda

Em reunião, Doria tem diagnóstico da Educação, Segurança e Fazenda

Compartilhe
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Tivoli Patinação

O governador João Doria realizou na manhã desta quarta-feira (2) a primeira reunião com o secretariado. Após o encontro de trabalho, foi realizada uma coletiva de imprensa para apresentar os diagnósticos da situação das áreas de Educação, Segurança Pública e Fazenda, além de medidas administrativas para redução da máquina pública e eficiência da gestão estadual.

“Não queremos fazer aqui uma caça às bruxas ou estigmatizar o Governo anterior, mas falar a verdade. Na área da Educação, a situação é muito ruim. Na área de Segurança Pública, a situação é boa e será melhorada”, afirmou o governador.

-----TEXTO CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE------
Cultura Inglesa

Objetivo

O secretário da Educação, Rossieli Soares da Silva, disse que existe a possibilidade de que cerca de que 2,5 milhões estudantes sejam prejudicados por falta de 8,5 mil professores. Essa lacuna seria suprida pela contratação de novos professores temporários, contudo a Justiça estadual proibiu no ano passado esse tipo de contratação. Desse total de estudantes, há a possibilidade de que 60 mil alunos da 1ª a 5ª série não tenham nenhum professor disponível. Além disso, foi constatado que não há contratos para aquisição de material escolar e material de apoio para o início do período escolar.

Rossieli anunciou que será retomado imediatamente o diálogo com o Ministério da Educação para participar de programas federais, em especial sobre o Ensino Médio, para receber recursos que deixaram de ser solicitados.

Na Segurança Pública, o secretário General João Camilo Pires de Campos anunciou que foi iniciada às 5h desta quarta a Operação São Paulo Mais Segura, com a participação de 24 mil policiais, com o objetivo de ampliar o policiamento ostensivo e a sensação de segurança da população.

O secretário também afirmou que irá ampliar as ações de inteligência – em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária -, aperfeiçoar os plantões policiais nas delegacias, incentivar que as prefeituras ampliem sistemas de vigilância eletrônica e criem conselhos municipais de segurança pública que não existem em 340 cidades. Também estão em andamento a análise para a criação de 17 Baeps e a aquisição de mais 50 bases comunitárias.

Rodrigo Garcia, vice-governador e secretário de Governo, detalhou os seis decretos e projeto de lei que foram assinados ontem pelo governador para reduzir o custo da máquina pública e aumentar a eficiência da gestão estadual.

Ele explicou que o projeto de lei propõe a extinção da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A.), a fusão da Imprensa Oficial do Estado São Paulo (Imesp) e da Companhia de Processamento de Dados do Estado (Prodesp) – que poderia resultar em uma economia de R$ 30 milhões – e a possibilidade de fusão ou extinção da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp) e Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa). Estas últimas três empresas já passaram a fazer parte de um conglomerado administrado por Nelson Antonio de Souza, que, até o final de 2017, presidiu a Caixa Econômica Federal.

Um dos decretos prevê que todos os órgãos estaduais diminuam em 15% os seus gastos com funcionários em cargos comissionados e em 30% com horas extras. Outros decretos tratam da reavaliação de contratos e convênios existentes, para que possam ser reduzidos ou cancelados e do cancelamento de convênio realizados no último mês sem a documentação necessária para que fossem firmados.

O secretário da Fazenda, Planejamento e Gestão, Henrique Meirelles, afirmou que está sendo realizado um diagnóstico das finanças estaduais, que deve ser finalizado em breve para ser divulgado. Além disso, Meirelles disse que a atual gestão irá se empenhar em criar condições para a criação de novos empregos no Estado.

“Vamos conversar com investidores para que tragam investimentos o mais rápido possível, seja com a expansão das indústrias atuais, seja com a instalação de novas indústrias. São Paulo tem condições de ser o motor da consolidação do crescimento da economia do país”, afirmou Meirelles.

O governador João Doria também anunciou que irá negociar com o Governo Federal uma solução para o Porto de Santos.

“A nossa posição é pela privatização do Porto de Santos. Se tiver duas etapas, seria a estadualização e, na sequência, a sua privatização. Ou a sua privatização imediata”, disse. Ele também afirmou que foi convidado e irá participar do Fórum de Davos, na Suíça, que acontece entre 22 e 24 de janeiro. Ele irá apresentar para investidores estrangeiros as oportunidades de investimento no Estado de São Paulo.

Esta foi a primeira reunião de trabalho do governador João Doria com os 20 secretários de Estado, após a nomeação deles durante a cerimônia de posse do novo chefe do Poder Executivo. Veja aqui os perfis de todos os secretários estaduais.


Mineiro neutro

Zuhause


Quer divulgar sua empresa no Portal de Americana? Clique aqui e saiba mais!
Compartilhe