Cotidiano

Americana tem a menor mortalidade e letalidade da covid-19 das cidades da região

0
Foto: Susy Coutinho
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli Teatro

A pandemia segue avançando em todo o país e na cidade todos os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) então ocupados. Mas, um número chama a atenção: Americana possui a menor mortalidade por 100 mil habitantes e a menor letalidade da covid-19 se comparada as quatro cidades próximas.

A mortalidade leva em consideração o número de óbitos registrados pela doença em relação ao número de habitantes. Já a letalidade é a porcentagem de mortes do número total de contaminados.

Os dados computados pelo Portal de Americana usou o número de mortes presentes no boletins das cidade emitidos na terça-feira(22). O número de habitantes usado foi o da estimativa de 2020 do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Em Americana, a mortalidade é de 263 a cada 100 mil habitantes. Já em Santa Bárbara d’Oeste possui o maior número de mortes, sendo 326, em Sumaré o índice é de 286 e em Nova Odessa 313. A mortalidade de Americana também é menor que a da capital São Paulo que possui o índice de 290.

Já Nova Odessa possui a maior porcentagem de mortes em relação ao número de pessoas que foram contaminadas pelo novo coronavírus com 3,60%, seguida de Sumaré com 3,36%, Santa Bárbara com 3,34% e Americana aparece com 2,96%. Ou seja, Americana é a cidade onde há mais curados da infecção causada pela covid-19.

Na capital paulista o numero de mortes é de 2,61% dos contaminados.

MORTALIDADE
HABITANTES MORTES MORTES/100 MIL HABITANTES
Americana 242.018 638 263
Santa Bárbara
194.390 634 326
Nova Odessa 60.956 191 313
Sumaré 286.211 821 286
São Paulo 11.253.503 32.648 290
LETALIDADE
CONTAMINADOS MORTES LETALIDADE
Americana 21.534 638 2,96%
Santa Bárbara
18.933 634 3,34%
Nova Odessa 5.297 191 3,60%
Sumaré 24.406 821 3.36%
São Paulo 1.250.699 32.648 2,61%


STF confirma parcialidade Moro ao condenar Lula

Notícia Anterior

Americana registra mais cinco óbitos por Covid-19

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano