Saúde

Frio aumenta o risco de morte por AVC e infarto

0
Foto: Freepik
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Maratona

O inverno chegou com temperaturas abaixo de 14º graus. Com isso, infelizmente o número de mortes por infarto, AVC e outras doenças vasculares aumenta excessivamente.

Por conta disso, o especialista em cirurgia vascular, endovascular e angiorradiologia, Robert Guimarães esclarece questões sobre doenças vasculares, seus sintomas, causas, prevenções e tratamentos. “Complicações vasculares são mais fáceis de aparecer no inverno por conta do aumento da pressão sanguínea, falta de hidratação e sedentarismo que o frio gera, “explica o doutor.

------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Portal telegram

O especialista diz que, no frio, nosso organismo trabalha para sustentar o calor dentro do corpo, portanto as terminações nervosas da pele incentivam a formação de um tipo de substância que acelera o metabolismo para proteger os órgãos internos e evitar a perda de calor. Assim, este processo faz com que o coração utilize mais força para bombear o sangue, pois as paredes dos vasos sanguíneos se contraem, gerando um grande aumento da pressão sanguínea, causando assim, infartos e acidentes vasculares cerebral.

Robert Guimarães ainda alerta sobre a importância dos exames prévios, pois as complicações podem ser evitadas se forem tratadas com antecedência. Idosos, fumantes, obesos, diabéticos hipertensos e sedentários devem redobrar o cuidado, pois o risco é ainda maior.

“Essas e outras doenças possuem uma característica importante para precaução, ao realizar um check-up, o médico especialista pode evitar que a situação se complique com medidas iniciais, como aconselhar uma mudança nos hábitos alimentares, hidratação, atividades físicas e, caso necessário, receitar uma medicação”, salienta o cirurgião.

Chá das Princesas volta ao Tivoli Shopping neste mês

Notícia Anterior

Faculdade Anhanguera de Santa Bárbara realiza vestibular gratuito com bolsas de até 100%

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Saúde