BrasilCotidiano

Posse de Lula já é o maior evento desde 2016 em número de autoridades estrangeiras

0
Foto: Marcos Corrêa/PR
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
FAM 2023

A posse do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 1º de janeiro de 2023, será o maior evento com autoridades estrangeiras de alto nível no Brasil desde os Jogos Olímpicos Rio 2016. Ao todo, estão confirmadas 65 delegações de chefes e vices-chefes de Estado, de Governo e de Poder, além de ministros de negócios estrangeiros e enviados especiais. O evento contará ainda com a presença de representantes de organismos internacionais.

“A posse do presidente eleito supera o número de autoridades estrangeiras que estiveram presentes nas Olimpíadas no Rio de Janeiro”, revela o embaixador Fernando Igreja, responsável pelo cerimonial da posse. Segundo Igreja, vários encontros bilaterais já foram solicitados pelas delegações para que sejam realizados nos dias seguintes à posse. Os pedidos serão despachados com o presidente eleito.

“A presença de 30 chefes de Estado e chefes de Governo demonstra a importância que esses países estão dando para a posse do presidente Lula e a volta do Brasil ao cenário internacional como um parceiro relevante. Países de todos os continentes estarão presentes”, destaca Igreja, ressaltando a importância da confirmação da presença de quase todos os países da América do Sul, além de representantes da América Central, da África e do Oriente Médio.

Os 19 chefes de Estado confirmados são: o rei da Espanha e os presidentes da Alemanha, Angola, Argentina, Bolívia, Cabo Verde, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Guiné Bissau, Honduras, Paraguai, Peru, Portugal, Suriname, Timor Leste, Togo e Uruguai. Representando o presidente do México, virá a primeira-dama, Beatriz Gutiérrez Müller. Confirmaram a presença os vices-presidentes da China, de Cuba, de El Salvador e do Panamá.

Os chefes de Governo confirmados são da República de Guiné, Mali, Marrocos e São Vicente e Granadinas. Também confirmaram presença vices-primeiros ministros do Azerbaijão e da Ucrânia. Entre os chefes de Poder, virão ao Brasil presidentes do Conselho da Federação (Rússia), da Assembleia Nacional Popular (Argélia), Assembleia Consultiva Islâmica (Irã), Senado e Assembleia Nacional (República Dominicana), Assembleia da República (Moçambique), do Senado da Jamaica e da Guiné Equatorial, e do Parlamento Nacional (Sérvia).

Igreja registra ainda a vinda de 11 chanceleres (Turquia, Costa Rica, Palestina, Guatemala, Gabão, Zimbábue, Haiti, Nicarágua, África do Sul, Camarões e Arábia Saudita) e 16 enviados especiais, entre eles, União Europeia, Estados Unidos, Reino Unido, Japão, França e Organização das Nações Unidas.

Entre os organismos internacionais, estarão no país o secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o secretário-geral da Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Ilan Goldfajn, e a secretária-geral da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica.


Siga o @portaldeamericana no Instagram (clique aqui)

General americanense será ministro do GSI de Lula

Notícia Anterior

Bolsonaro faz balanço do governo e afirma não apoiar confrontos

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Brasil