Política

Procuradoria da Mulher protocola moção de repúdio a falas de deputado sobre mulheres ucranianas

0
Foto: Divulgação
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Semana do consumidor

A Procuradoria Especial da Mulher da Câmara Municipal de Americana iniciou suas atividades nesta segunda-feira (7) em reunião realizada na sala Décio Vitta. No encontro, as vereadoras Professora Juliana (PT), Nathália Camargo (Avante) e Leonora Périco (PDT) definiram as primeiras ações do recém-formado grupo e elaboraram uma moção de repúdio às falas do deputado estadual Arthur do Val em relação às mulheres ucranianas.

Além da elaboração e assinatura da moção conjunta, já protocolada nesta segunda, as vereadoras deliberaram ainda sobre a elaboração do estatuto da procuradoria e definiram que será realizado um encontro com os órgãos e serviços que atuam junto às mulheres vítimas de violência no município.

De acordo com a procuradora especial, vereadora Professora Juliana, a primeira reunião teve o objetivo de elencar os primeiros passos para que a Procuradoria comece a funcionar efetivamente e, em comum acordo, ficou definido que serão convidados representantes da Guarda Municipal, Polícia Militar, Delegacia da Mulher, Secretaria de Saúde e Secretaria da Assistência Social para uma reunião, a ser realizada no dia 30 de março.

“Será um momento de apresentarmos a procuradoria, nossos objetivos e as ações que podemos fazer; a ideia é estabelecer parceria com esses órgãos para que a Procuradoria possa atuar da melhor forma possível”, explicou a vereadora Professora Juliana.

“Tivemos uma primeira reunião muito produtiva, direcionando o trabalho, criando objetivos iniciais para a defesa dos direitos das mulheres e atuação da Procuradoria. Vamos ajustar junto aos outros órgãos de proteção atuantes no município para otimizar os trabalhos e assim tornar a Procuradoria uma referência na proteção dos direitos”, comentou a vereadora Leonora Périco.

“Acredito que nossa função principal será ajudar a promover um debate sério e responsável sobre a representação das mulheres na sociedade. Espero que possamos fazer um ótimo trabalho na defesa dos diretos das mulheres”, avaliou Nathália Camargo.

Moção de repúdio
Em paralelo com as deliberações, as vereadoras também discutiram e elaboraram uma moção de repúdio às falas machistas do deputado estadual Arthur do Val, divulgadas pela imprensa na última sexta-feira (4). Em áudios vazados, o deputado – que esteve na Ucrânia durante o início do confronto com a Rússia – afirma, entre outras frases, que as mulheres ucranianas “são fáceis porque são pobres”.

Na moção, a Procuradoria Especial da Mulher aponta que a postura do deputado “é sexista e misógina, e condensa os elementos fundamentais da cultura machista: a naturalização da violência e da objetificação das mulheres”.

“Falas como a do deputado conhecido como “mamãe falei” não atingem somente as ucranianas, mas a todas as mulheres. A visão de mundo e o significado da mulher presentes nas entrelinhas da fala de Arthur do Val fundamentam uma cultura de violência e discriminação das mulheres”, traz trecho da moção.

No documento, as vereadoras ainda pedem apuração e punição exemplar em relação à postura do deputado.


Câmara disponibiliza vagas de estacionamento exclusivas para autistas

Notícia Anterior

Maioria é contra abertura de ruas no calçadão de Americana

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Política