Brasil

Estado de saúde de Pelé melhora, mas ainda não há previsão de alta

0
Foto: Ricardo Saibun/Santos FC
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
FAM 2023

O boletim médico divulgado no início da tarde de hoje (12) pelo Hospital Albert Einstein informou que o ex-jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, continua apresentando melhora de seu estado clínico, especialmente da infecção respiratória.

Pelé está consciente e com sinais vitais estáveis. No entanto, diz o hospital, ele segue internado em quarto comum, ainda sem previsão de alta.

Kely Nascimento, uma das filhas de Pelé, chegou ao Brasil e foi visitá-lo no hospital hoje cedo. Em suas redes sociais, ela postou duas fotos do quarto onde Pelé está internado. Em uma delas, ela postou uma foto segurando as mãos de Pelé ao lado da palavra “Cheguei”. Em outra, ela escreveu o texto “Gratidão por café e por trabalho remoto”.

Pelé foi internado no Hospital Israelita Albert Einstein no dia 29 de novembro para uma reavaliação da terapia quimioterápica do tumor de cólon, identificado em setembro de 2021.

A retirada do tumor ocorreu em 4 de setembro de 2021. Desde então, Pelé é submetido a um tratamento de quimioterapia, com idas regulares ao hospital.

Do hospital, Pelé tem acompanhado e postado mensagens sobre a Copa do Mundo no Catar. Logo após a eliminação do Brasil para a Croácia, por exemplo, o ex-jogador postou uma mensagem de apoio a Neymar. “Infelizmente, o dia não é o mais feliz para nós, mas você sempre será a fonte de inspiração que muitos almejam se tornar. Eu aprendi que, quanto mais o tempo passa, mais o nosso legado cresce. Meu recorde foi estabelecido há quase 50 anos e ninguém tinha conseguido se aproximar dele até agora. Você chegou lá, garoto. Isso valoriza a grandeza da sua conquista”, escreveu.


Siga o @portaldeamericana no Instagram (clique aqui)

Vereador é agredido por bolsonaristas em frente ao tiro de guerra

Notícia Anterior

“Ali tem bandido”, diz Gualter sobre manifestantes do tiro de guerra

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Brasil