Brasil

Presidente deixa hospital após desconforto abdominal

0
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Semana do consumidor

O presidente Jair Bolsonaro sentiu-se mal na tarde de ontem e foi levado ao Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. Ele deixou o HFA por volta das 6h30 da manhã de hoje (29) e foi para o Palácio da Alvorada, residência oficial.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou no Twitter que o presidente já recebeu alta. “Bom dia com uma ótima notícia. O Presidente já recebeu alta e está super bem!”, publicou Faria.

Bolsonaro foi ao hospital para realizar exames após sentir desconforto abdominal. O presidente sofreu, em 2018, uma facada na região do abdome e teve que se submeter a diversas cirurgias.

Ontem, Bolsonaro iria participar de um evento de filiação dos ministros Tarcísio Freitas (Infraestrutura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) ao partido Republicanos, da base do governo. Devido ao mal-estar, ele não compareceu ao encontro.

O presidente manteve sua agenda para o dia de hoje. Ainda de manhã, deve viajar para Ponta Porã (MS), onde participará de entrega de títulos de propriedade rural a famílias do Assentamento Itamarati. A cerimônia está prevista para as 11h (horário local).

Devem participar os ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina; das Comunicações, Fábio Faria; o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Geraldo Melo Filho; a secretária de Coordenação e Governança do Patrimônio da SPU, Fabiana Rodopoulos; e o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro.

Haverá ainda outras entregas do governo federal no estado, como pontos de conexão de internet, crédito para assentados e cessão de área da União para o município.


PL desiste de ação contra falas políticas no Lollapalooza e pede que TSE arquive processo

Notícia Anterior

Prefeito Chico Sardelli assina convênios no valor de R$ 1,1 milhão com a Secretaria de Agricultura

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Brasil