São Paulo

Tarcísio diz que ‘pobre não sabe o que é direita ou esquerda’ na política

0
tarcisio (2)
Foto: Divulgação/GOVSP
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
FAM 2023

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), defendeu nesta quarta-feira, 15, “racionalidade e pragmatismo” no debate político quando se trata de atender a população em situação de vulnerabilidade. Segundo ele, “o pobre não sabe o que é direita ou esquerda” na política e isso é menos importante do que levar a solução de problemas à ponta. Ele também defendeu o avanço da reforma tributária.

“O que nos cabe é trazer racionalidade e pragmatismo para o debate político. Tem uma população muito carente que depende de nós. Independentemente de eu ser um cara mais à direita”, disse, durante participação online em evento promovido pelo BTG Pactual “Não importa se você é de direita ou de esquerda, o pobre não sabe o que é direta ou esquerda. Ele precisa de teto, abrigo, precisa de proteção, de saúde, de resolução de seus problemas imediatos, de diminuição dos tempos de cirurgias. O jovem precisa de perspectivas”, completou, após ser questionado sobre a polarização do País.

canal whats

Para o governador, o debate programático e a solução de problemas se perdem em um ambiente polarizado. “No final das contas, as pautas da direita e da esquerda muitas vezes convergem. (…) O que vai diferenciar a esquerda ou a direita é o caminho (com) que vamos atingir nossos objetivos.”

Questionado sobre o relacionamento com o governo federal, Tarcísio disse ter uma “relação republicana” com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “É necessário o apoio do governo federal, por exemplo, na política de habitação. A gente só vai ter efetividade na segurança pública se tiver a colaboração do governo federal. O mesmo vale para a saúde”, disse.

“São Paulo representa um terço do PIB brasileiro, não tem como o Brasil ir bem com São Paulo indo mal”, afirmou.

Reforma tributária

Com os governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), presentes no evento, Tarcísio defendeu o avanço da reforma tributária para alavancar investimentos.

Os líderes divergiram sobre a viabilidade da aprovação da pauta. De acordo com Ratinho, o governo do PT não tem, historicamente, perfil reformista. “Geralmente, (para) uma reforma tributária, você precisa ter um ambiente econômico saudável, coisa que nós não temos no mundo”, disse. Para ele, o governo federal e o Congresso devem avançar apenas em uma simplificação de tributos

Na visão de Tarcísio, por outro lado, há grande possibilidade de a reforma avançar, ao citar o perfil “reformista e liberal” do Congresso, mas destacou dificuldades. “Não é fácil, quem acha que a tramitação vai ser um mar de rosas está enganado, porque envolve a relação entre entes federados e a composição entre diversos setores.”

Ele disse acreditar que os Estados estão “dispostos” a abrir mão, ao defender a cobrança de tributos no destino, política que afetaria o caixa de São Paulo. “A gente acha razoável, desde que tenha um período de compensação”, afirmou.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



CGU vai tirar sigilo de cartão de vacina de Bolsonaro

Notícia Anterior

STF dá 15 dias para Eduardo Bolsonaro responder queixa-crime de Daniela Mercury

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em São Paulo