Brasil e Mundo

Governo Bolsonaro pediu propina de US$ 1 por dose de vacina, diz vendedor à Folha

0
Foto: Agência Brasil
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli Teatro

Em entrevista à Folha de São Paulo, o representante de uma empresa de vacinas afirmou que recebeu o pedido de propina do governo Bolsonaro para fechar o contrato de fornecimentos de imunizantes com o Ministério da Saúde. O caso foi publicado na noite desta terça-feira(29), no site do jornal.

De acordo com o jornal, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, representante da empresa Davati Medical Supply, disse que recebeu o pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina,. O pedido teria sido feito pelo diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, em um jantar em um shopping de Brasília no dia 25 de fevereiro.

Roberto é indicado ao cargo pelo líder de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros. Davati ofereceu 400 milhões de doses da vacina Astrazeneca a US$3,5.

Segundo a Folha, Dominguetti ​disse que recusou o pedido de propina feito pelo diretor da Saúde e afirmou que o valor teria que ser o ofertado. Em seguida, o fornecimento do imunizante foi barrado pelo ministério.


Governo suspende contrato de compra da Covaxin

Notícia Anterior

Americana aplica 3.191 doses da vacina contra a Covid-19 nesta terça-feira

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.