Cotidiano

Programa lançado pela prefeitura vai pagar mais caro por consultas médicas

0
Foto: Divulgação
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 

O programa “Saúde Já” lançado pela Prefeitura na manhã desta quinta-feira(5) e idealizado pelo vereador Rafael Macris(PSDB), vai pagar mais caro em consultas do que alguns sistemas de cartão de saúde cobram na cidade. O lançamento aconteceu no auditório Vila Americana, pelo prefeito de Americana, Omar Najar e contou com a presença do vereador tucano, do secretário de Saúde, Gleberson Miano, entre outras autoridades.

Lançado cm o objetivo de zerar as filas de consultas médicas o programa vai credenciar consultórios e clínicas para prestarem atendimento a população, complementando a rede pública.

“O Saúde Já vai ser dividido em duas vertentes: a primeira para a atenção básica e a segunda para especialidades, onde a prefeitura vai abrir o chamamento público, oferecendo um valor para a contratação dessas consultas, que será de R$ 52″, explicou Rafael.

O valor que será oferecido pela prefeitura é mais caro do que é pago pelas consultas do SUS e até que alguns programas médicos já existentes na cidade, que comercializam consultas a partir com clínicos a partir de R$ 20 e com especialistas por R$28.

Em Americana, são mais de 35 mil consultas na fila de espera em diversas especialidades, como por exemplo: cardiologia (2.973), cirurgia geral (264), cirurgia vascular (1.417), dermatologia (4.445), endócrino (1.701), gastroenterologia (1.300), nefrologia (120), neurologia (2.541), neurocirurgia (636), oftalmologia (3.501), ortopedia (3.890), otorrinolaringologia (4.463), pequena cirurgia (740), reumatologista (810), pneumologia (300), prevenção próstata (2.800), ecodopler cardíaco (733), ecodopler venoso (904), eletrocardiograma (30), ultrassom (625) e teste ergométrico (840).


Vic Center promove encontro para troca de figurinhas da Copa 2018

Notícia Anterior

Sérgio Moro determina prisão do ex-presidente Lula

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano