Cotidiano

Dois dias após votar a favor de multa para aglomeração, vereador participa de festa casamento

0
Foto: Reprodução
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli dois amores 2021

Dois dias após votar a favor de uma lei que prevê multa para festas clandestinas na cidade, o vereador Silvio Dourado(PL), participou neste sábado(15), de um casamento que aconteceu de forma ilegal em Americana.

A atual fase de transição do Plano São Paulo proíbe festas de casamentos e outras reuniões do mesmo tipo. O evento que aconteceu em um salão no Jardim Terramérica não poderia pelo menos até o dia 23 de maio, data em que a fase de transição se encerra.

Em fotos compartilhadas nas redes sociais, o vereador aparece sem máscara em diversas situações ao lado de outras pessoas que também não utilizam a proteção.

Na quinta(13), o vereador votou pela aprovação de um projeto que prevê multa de até R$290 mil para proprietários de chácaras que locarem o espaço para festas.

Questionado pelo Portal de Americana se julgava correto sua participação em um evento ilegal, o vereador disse é melhor evitar. “Neste momento, o melhor é evitar situações desnecessárias, todavia, quando necessário, participar apenas de eventos que estejam seguindo todos os protocolos sanitários, até porque tive COVID e tenho ciência da gravidade”, afirmou.

“Foi um evento dentro dos parâmetros do que se pede o plano São Paulo de combate ao COVID, com todos os protocolos sanitários observados, quantidade de pessoas reduzidas”, disse ele, contradizendo as regras do Plano.

Silvio também afirmou que o “evento contou com orientação expressa da vigilância sanitária, após consulta com o diretor do respectivo órgão”. O Portal procurou a prefeitura de Americana para saber sobre essa “orientação”, mas  o executivo informou que poderia se manifestar nesta segunda-feira(17).


Ricardo Nunes assume definitivamente prefeitura de São Paulo

Notícia Anterior

Evento na Royal Garden é fechado novamente em Americana

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano