Cotidiano

Hospital Municipal implanta sistema digital para mamografias

0
Foto: Divulgação
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli dois amores 2021

O Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi (HM) implantou um sistema digital para a realização de mamografias. O novo equipamento foi alugado da empresa IBF Indústria Brasileira de Filmes S/A, ao valor mensal de R$ 11.300,00 de recursos municipais. A sala de exame também passou por uma remodelagem no aspecto visual, permitindo um ambiente totalmente acolhedor e humanizado.

O Hospital conta agora com um novo e moderno sistema de digitalização da imagem da mamografia, permitindo uma clara visualização de nodulações ou calcificações. O novo sistema também permite menos tempo de exposição à radiação ionizante, priorizando assim a saúde das mulheres que se submetem ao exame de mamografia, além de mais agilidade nos procedimentos, principalmente em relação aos ajustes para melhorar a visualização das imagens.

Com o novo sistema, os exames ficam com mais definição, nitidez, contraste e possuem maior diferenciação de densidade. Além disso, pelo fato de dispensar produtos químicos para a revelação das imagens, o processo também contribui para o meio ambiente.

“O novo sistema possibilita maior agilidade nos exames, maior resolutividade, economia e menor tempo de exposição das pacientes à radiação. Isso tudo é um benefício extraordinário e o Hospital Municipal vem buscando cada vez mais oferecer o melhor acolhimento aos seus usuários”, explicou o superintendente da Fusame (Fundação de Saúde de Americana), Eduardo Pramparo.

Sala Rosa
O Hospital aproveitou para implantar um conceito de humanização na sala de exames. A proposta foi decorar a sala com o princípio da humanização da saúde. Tornou-se uma sala mais acolhedora, para que o procedimento como um todo seja uma experiência mais tranquila para as pacientes, facilitando o processo do exame.

E para isso, o setor de mamografia do HM resolveu trabalhar com a experiência de três dos sentidos humanos, a visão, o olfato e a audição; e assim a sala de exame passou a ser denominada “Sala Rosa”, o que irá possibilitar às pacientes uma experiência acolhedora e humanizada durante a realização da mamografia.

“Nós decidimos por esse conceito, que também tem a ver com o Outubro Rosa, cuja cor já é determinante no aspecto da prevenção ao câncer de mama. A Sala Rosa ficou um local onde a mulher se sente mais à vontade e tranquila para realizar o exame”, destacou a coordenadora técnica do setor de radiologia, Fabiana Chaves.


Assaí anuncia unidade em Santa Bárbara e geração de 850 empregos

Notícia Anterior

Guarda arrecadam alimentos para mulher que sofreu violência doméstica

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano