Cotidiano

Idosa de 90 anos que morreu em Americana após tomar vacina ainda não tinha atingido a imunidade

0
Foto: Divulgação/GOVSP
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Arraia Tivoli

Americana registrou no dia 18 de março a primeira morte de uma paciente vacinada com duas doses da vacina contra covid-19. A idosa de 90 anos, moradora da Vila Santa Catarina, já tinha sido imunizada com as duas doses da vacina, porém ainda não tinha atingido o prazo para a imunidade.

De acordo com a secretaria de Saúde de Americana, a paciente iniciou os sintomas de covid-19 11 dias após a segunda dose. Ela estava internada em um hospital particular da cidade e faleceu quatro dias do início dos sintomas.

A secretaria informou que os estudos sobre a viabilidade das vacinas contra a Covid-19, dão conta de que a imunização está completa com cerca de 20 dias após a administração da segunda dose.

Uma nota do Instituto Butantan diz que a imunidade é obtida de duas semanas a um mês após a vacinação. “Em geral, em duas semanas após a segunda dose estaremos protegidos, pois esse é o tempo que nosso sistema leva para criar anticorpos neutralizantes, que barram a entrada do vírus nas células. Esse também foi o intervalo usado nos testes clínicos da CoronaVac, a vacina do Butantan, para medir a resposta imune dos participantes. Ainda vale lembrar que uma quantidade ainda maior de anticorpos pode ser registrada até um mês após o fim da vacinação, também variando de indivíduo para indivíduo”, diz o instituto em sua página oficial.

“Provavelmente a paciente contraiu a doença antes da imunização completa”, informou secretaria de Saúde de Americana.


Coronavírus mata mais 6 moradores de Americana

Notícia Anterior

Americana já vacinou mais de 10% da população contra covid-19

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano