Cotidiano

Morre o cão Max da guarda de Sumaré

0
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli Natal

A Guarda Civil Municipal de Sumaré está em luto pela morte do cão Max na noite de segunda-feira (19). Max foi protagonista em mais de 50 ocorrências policiais de localização de armas e entorpecentes, colaborando com o trabalho das polícias civil e militar e da GCM de Sumaré.

Max integrou o Canil de Sumaré, coordenado pela ROMU (Ronda Ostensiva Municipal) da GCM, durante seis anos. Em abril de 2020 aposentou-se e foi adotado pela família do condutor de cão GCM Itamar, que cuidou com todo o carinho do cão enquanto doente (ele teve problemas ósseos, na cartilagem e também no fígado e rins) até sua morte.

De raça Pastor Alemão Cinza, Max foi campeão de uma das maiores competições de cães de polícia da América Latina – o BAEP K9 – entre outros campeonatos de destaque na RMC, além da participação em diversas apresentações de “show dog” em escolas, parques, feiras etc.

“O Max foi um cão extremamente inteligente, companheiro na rotina de trabalho da Guarda Municipal de Sumaré. Colaborou muito nas ocorrências de rua e tinha o carinho de todos nós. Foi um super campeão e ganhava o carisma de todas as pessoas por onde passava. É com tristeza que nos despedimos desse fiel amigo”, disse o secretário de Segurança Pública da Prefeitura de Sumaré, Ricardo Zequin.

Atualmente, o Canil da ROMU tem seis cães, entre pastores alemães, labradores e border collies, que auxiliam a GCM e a Polícia Militar em diversos tipos de ocorrências, como busca de drogas, armas ou em situaçãoes de conflito. O grupo conta com campo de adestramento e preparação física para os cães, além de uma viatura especial.


Comitê científico de SP propõe uso obrigatório de máscaras

Notícia Anterior

Após incêndio, Defesa Civil interdita casa em Americana

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano