Cotidiano

Câmara de Americana deve mudar para prédio de antigo shopping de calçados

0
Foto: Will Moreira/PA
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli dois amores 2021

A Câmara Municipal de Americana deve mudar para um novo local ainda em 2021. A casa de leis de Americana deve deixar o o prédio do antigo Educandário Divino Salvador e mudar-se para o espaço onde funcionava um shopping de roupas e calçados na Av Monsenhor Bruno Nardini, no Jardim Miriam.

A informação foi confirmada por duas fontes ouvidas pelo Portal de Americana. Atualmente o legislativo paga R$ 54 mil mensal de aluguel e, em outubro, o valor deve subir para R$60 mil.

A mudança ocorre por problemas estruturais do prédio em que abriga a Câmara desde 2007. Em dias de chuva há goteiras no plenário, sala de imprensa e infiltrações em outros espaços. Por conta da idade da construção, o local também não comporta a instalação de ar condicionado.

A mudança deve ser confirmada pelo presidente da Câmara, Thiago Martins(PV), nos próximos dias. “Dia 12 farei a coletiva de imprensa, aí já vou estar com o contrato assinado, e poderei divulgar o local correto e valor acertado”, disse ao Portal. No mesmo dia, ele também deve fazer uma avaliação dos 100 primeiros dias como presidente.

Embora Thiago não confirme, as duas pessoas ouvidas pela reportagem dão como certo o local. Ele deve assinar o contrato nesta semana e acertar detalhes como o valor da locação e o prazo para a mudança.

De acordo com o que foi apurado pelo Portal, o aluguel do novo espaço deve ficar na casa dos R$ 45 mil, sendo R$ 15 mil mais barato que o do prédio atual.

ADAPTAÇÃO

O ponto mais preocupante na mudança deve ser a adequação do espaço às necessidades do legislativo. É preciso refazer toda a parte de comunicação, a criação do plenário incluindo estrutura para imprensa, suporte para a TV Câmara e adequações de gabinetes.


Polícia Militar realiza entrega de chocolates para crianças

Notícia Anterior

Suzano abre vagas para seu Programa de Estágio

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano