politica

Médicos do Hospital Municipal recebem até R$ 45 mil de salário, aponta comissão

0
Foto: Divulgação
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli Eletro

A Comissão Permanente de Saúde, Educação e Promoção Social da Câmara Municipal de Americana, composta pelas vereadoras Maria Giovana Fortunato (PC do B) – presidente e Judith Batista (PDT) e pelo vereador Thiago Brochi (PSDB), concedeu coletiva de imprensa nesta sexta-feira (7) para prestar esclarecimentos sobre a documentação requisitada pelo Ministério Público sobre a situação da rede pública municipal de saúde.

De acordo com Brochi, desde as primeiras reuniões da comissão ficou definido que o trabalho de investigação na saúde seria algo primordial. “Estamos fiscalizando a falta de médicos e de medicamento, além da estrutura precária do hospital e das unidades básicas”, afirma.

Durante a coletiva, a vereadora Maria Giovana falou sobre os documentos recebidos através de questionamentos feitos à Associação Plural e à prefeitura, além dos encaminhamentos do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. “Nos documentos, foram observados registros de três médicos com salários em torno de R$ 45 mil e queremos saber os horários cumpridos por eles. O Tribunal de Contas também questionou o controle de presença feito pela Plural, em que foram constatadas presenças que mantiveram o mesmo horário de registro independentemente da entrada ou saída do médico”, apontou.

Para os parlamentares, é necessária uma legislação mais rigorosa em cima da empresa e das contratações. “Quisemos apresentar essas documentações para a população antes do recesso parlamentar. No segundo semestre, vamos atrás e queremos saber sobre esses médicos com super salários e sobre a falta deles na saúde pública da cidade”, finalizou Giovana.

Tarifa de ônibus passa a custar R$ 3,80 em Santa Bárbara

Notícia Anterior

Sensação em São Paulo, café na casquinha chega a Americana

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em politica