Cotidiano

Morador de Indaiatuba que tomou o “Kit Covid” terá que fazer transplante de fígado

0
Foto: Carolina Antunes/PR
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Semana do consumidor

O hospital das Clinícas da Unicamp confirmou nesta terça-feira(24), o primeiro caso de um paciente diagnosticado com hepatite após o uso do chamado “Kit Covid”. O morador de Indaiatuba teve hepatite tóxico-medicamentosa pelo uso de remédios como azitromicina, hidroxicloroquina e ivermectina.

O homem de cerca de 50 anos é atleta e não possui comorbidades. Ele foi diagnosticado com covid-19 há cerca de três meses e teve efeitos como pele e olhos amarelados após usar o kit. Os medicamentos não possuem eficácia comprovada contra o coronavírus.

O paciente está internado no HC da Unicamp, em Campinas e será inserido na lista para a espera de transplante de fígado. Ainda não há previsão para a cirurgia.

O “kit covid” ganhou repercussão após receber apoio e incentivo do presidente Jair Bolsonaro, que defende o uso dos medicamentos de forma precoce e sem comprovação.


Americana antecipa para quinta vacina aos idosos com 69 anos e abre mais um drive thru

Notícia Anterior

Dória inclui professores e policiais no grupo prioritário; vacinação começa dias 5 e 12 de abril

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano