Cotidiano

Prefeitura decide manter o abrigo da Fidam por mais tempo

0
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 

A Prefeitura de Americana vai prorrogar, até sexta-feira (6/8), o atendimento no abrigo temporário montado na Fidam – Feira Industrial de Americana, na Avenida Nossa Senhora de Fátima, 200. O acolhimento provisório está funcionando desde o dia 27 de julho, em função do frio intenso registrado, e seria encerrado nesta terça-feira (3/8), quando havia previsão da temperatura se estabilizar. A decisão de estender o atendimento emergencial foi tomada pelo prefeito Chico Sardelli, tendo em vista a continuidade das baixas temperaturas.

“Em reunião com o prefeito Chico Sardelli foi tomada a decisão de prorrogar o atendimento, para que a situação seja estabilizada e os abrigados tenham um pouco mais de tempo de permanência na Fidam. Assim poderão ficar protegidos das baixas temperaturas. Muitos já aceitaram ir para abrigos permanentes neste curto tempo de atendimento na Fidam e terão todo o apoio necessário”, explicou a secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Juliani Hellen Munhoz Fernandes.

No abrigo temporário as pessoas em situação de rua podem pernoitar, receber café da manhã, almoço e jantar, além de agasalhos e cobertores. A Prefeitura, por meio da Secretaria da Saúde, fez testes de Covid nos abrigados e aplicou a vacina contra Covid-19 naqueles que ainda não tinham recebido a dose do imunizante.

Os trabalhos no abrigo temporário da Fidam estão sendo coordenados pela Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), em parceria com o Fundo Social de Solidariedade de Americana, Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil, Guarda Municipal, Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas), Associação Vinde a Luz, com o apoio do Grupo Rede Rua e demais colaboradores.

02/08/2021


Americana antecipa vacinação para pessoas com 24 anos

Notícia Anterior

TSE pede que Bolsonaro seja investigado por fake news sobre urnas eleitorais

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano