Cotidiano

Dória pode estender quarentena se isolamento não crescer em SP

0
Foto: Leon Rodrigues / ASCOM- PMSP
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
FAM 2023

A taxa de distanciamento social no estado de São Paulo permaneceu em 48% nesta quinta-feira (23), a mesma do dia anterior. O percentual é considerado baixo, e o governo paulista disse que a taxa acendeu o alerta amarelo de preocupação com a disseminação do coronavírus no estado. A taxa considerada ideal é acima de 70%, mas o governo já considera satisfatória quando fica acima de 50%.

Segundo o governador João Doria, caso a taxa de isolamento no estado não cresça, a retomada das atividades econômicas, prevista para 11 de maio, pode não ocorrer nesta data.


????Participe do grupo de empregos do Portal de Americana no WhatsApp. Clique no link: https://bit.ly/3TIWfzS

“Com um índice de 48% de isolamento, não será possível realizarmos flexibilização na região metropolitana de São Paulo. Se os brasileiros que vivem nas cidades que compõem a região metropolitana e na própria capital de São Paulo, não fizerem o isolamento com índice mínimo de 50%, que foi a recomendação da Saúde e do Comitê de Saúde, nós revisaremos a decisão, a ser anunciada no dia 8 de maio de flexibilização gradual do isolamento na região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital”, disse o governador.

De acordo com Dória, algumas cidades vêm conseguindo manter taxas altas de isolamento, como São Sebastião, em que 62% da população tem ficado em casa, mas a média do estado permanece baixa. 

O sistema de monitoramento acompanha a situação de mobilidade em 104 dos 645 municípios paulistas com população acima de 70 mil habitantes. A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.


Unimed 1


Aulas de São Paulo serão retomadas em julho

Notícia Anterior

Brasil registra mais de 50 mil casos confirmados do novo coronavírus

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano