Cotidiano

Gasolina sobe 1,56% no mês até dia 13 e fecha período em R$ 5,40, mostra IPTL

0
Foto: Divulgação
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
FAM 2023

O litro da gasolina comercializada nos postos de abastecimento do País fechou os primeiros dias de fevereiro com o valor médio de R$ 5,40, com aumento de 1,56% em relação a janeiro. Já o etanol ficou em R$ 4,44, 1,21% mais caro, aponta levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), que analisou o preço dos combustíveis no período de 1º a 13 de fevereiro.

Segundo o diretor-geral de Mobilidade da Edenred Brasil, Douglas Pina, o preço mais alto da gasolina é reflexo do último aumento de 7,47% para o combustível vendido às refinarias, anunciado no último dia 24 de janeiro.


Participe do grupo de empregos do Portal de Americana no WhatsApp. Clique no link: https://chat.whatsapp.com/JbK7hgnUkWZ7g3vsCcGNj6

O executivo observa que neste início de mês, a alta do litro do etanol começou a desacelerar no Brasil. “Entre fevereiro e março, a oferta do produto deve aumentar no mercado e refletir em mais redução no preço do combustível”, avalia Pina.

Na análise por região, o Norte não só liderou o ranking das médias mais altas para os dois combustíveis, como também dos acréscimos mais expressivos. A gasolina foi comercializada a R$ 5,67 nos postos nortistas, com aumento de 2,92%. O etanol fechou a R$ 4,77 no período e aumentou 5,39%. Nenhuma região brasileira apresentou recuo no valor da gasolina, porém a média mais baixa foi registrada no Sul, a R$ 5,20.

Já o preço do etanol teve queda em três regiões brasileiras. No Sudeste o combustível fechou o período a R$ 4,22, com redução de 2,06%. No Centro-Oeste, o etanol ficou em R$ 3,94, menor preço médio do País, com recuo de 1,99%. Com 1,13% de redução, no Sul o combustível encerrou o período a R$ 4,55.

No Distrito Federal, o preço da gasolina baixou 3,04% e fechou o período a R$ 5,04. Entre os Estados, o combustível ficou mais barato apenas para os motoristas do Piauí e da Bahia, onde o litro foi comercializado a R$ 5,39, com redução de 1,44%; e R$ 5,59, com recuo de 0,85%, respectivamente. Nos demais estados, a gasolina ficou mais cara, com destaque para o Amazonas, onde a média fechou a R$ 5,63, com aumento de 11,07%.

Com o valor da gasolina em R$ 6,1, Roraima ocupou o topo do ranking do litro mais caro para o combustível. Já o mais barato de todo o País foi encontrado nas bombas de abastecimento da Paraíba, a R$ 5,01. A redução mais expressiva para a gasolina foi registrada no Distrito Federal, onde o preço médio saiu de R$ 5,20 para R$ 5,04.

Já o litro do etanol oscilou entre recuos e acréscimos nos Estados. Entre os aumentos, o destaque ficou com o de 4,42% registrado no Sergipe, onde o combustível fechou a R$ 4,46. O Piauí teve a maior redução no preço do litro, de 4,32%, que passou de R$ 4,38 para R$ 4,19. O Pará apresentou o preço médio mais alto de todo o País para o litro, de R$ 5,19, e o Mato Grosso o mais baixo, de R$ 3,73.

“Como reflexo do aumento de 11,07% para o preço da gasolina comercializada no Amazonas, além do Mato Grosso, o etanol se apresentou como a opção mais econômica também para os motoristas amazonenses. Ao optar pelo etanol, o motorista conta com um combustível ecologicamente mais viável. Por ser produzido a partir da cana-de-açúcar ou milho, o etanol é capaz de reduzir consideravelmente as emissões de gases responsáveis pelas mudanças climáticas”, finaliza Pina.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil.




SP proíbe exigência do comprovante do cartão de vacina contra covid-19

Notícia Anterior

Covid-19: secretária de Tarcísio cita ‘verdadeira ciência’ contra uso de máscaras

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano