Cotidiano

Moradores de Americana e Santa Bárbara estão no grupo que pretendia matar Sergio Moro

0
Foto: Lula Marques / AGPT
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
FAM 2023

Um morador de Americana e dois de Santa Bárbara d’Oeste estão no grupo acusados de planejar a morte de Sergio Moro e outras autoridades. A Polícia Federal cumpriu mandados de prisão na região nesta quarta-feira(22). Há ainda procurados em Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia. As identidades dos presos não foram divulgadas.

De acordo com a PF, a quadrilha que pretendia atacar servidores públicos e autoridades, planejando homicídios e extorsão mediante sequestro em quatro Estados e no Distrito Federal.

canal whats

Nas redes sociais, o senador Sergio Moro agradeceu a atuação das forças de segurança, afirmando que ele e sua família estariam entre os alvos de “planos de retaliação do PCC”. A informação de que o parlamentar estava entre os alvos da quadrilha sob suspeita foi confirmada pela reportagem junto a fontes da investigação.

À época em que Moro era ministro da Justiça do governo Jair Bolsonaro, houve a transferência de lideranças do PCC para presídios federais.

Cerca de 120 agentes foram às ruas cumprir 11 mandados de prisão – sete preventivas e quatro temporárias – em Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo e Paraná. Além disso, o efetivo vasculha 24 endereços ligados a investigados.

A operação foi batizada “Sequaz”. De acordo com a PF, o nome da operação faz referência “ao ato de seguir, vigiar, acompanhar alguém”. O termo foi utilizado em razão do “método utilizado pelos criminosos para fazer o levantamento de informações as possíveis vítimas”, diz a corporação.

mandados de prisão no estado de São Paulo:
Americana – 1
Sumaré – 7
Hortolândia – 2
Santa Bárbara d’Oeste – 2
Nova Odessa – 1
São Bernardo do Campo – 1
Diadema – 1
Guarujá – 7
Andradina – 1



ONG em São Paulo doa perucas para pacientes com câncer

Notícia Anterior

DAE de Santa Bárbara lança Concurso Público para 21 vagas

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano