Cotidiano

‘Para ser pátria amada não pode ser pátria armada’, diz arcebispo de Aparecida

0
Foto: Divulgação
------ CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ------ 
Tivoli Teatro

O arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, disse, durante a principal missa do Dia de Nossa Senhora Aparecida, nesta terça-feira (12), que “para ser pátria amada não pode ser pátria armada”.

“Para ser pátria amada, seja uma pátria sem ódio. Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos irmãos construindo a grande família brasileira”, afirmou Brandes durante a missa no santuário nacional da padroeira do Brasil.

Mesmo sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro, o religioso fez uma referência ao slogan adotado pelo governo federal. Além de ser investigado em um inquérito sobre disseminação de notícias falsas, as fake news, Bolsonaro é favorável ao armamento da população.

O arcebispo também agradeceu pela vacina. “Mãe Aparecida, muito obrigado porque na pandemia a senhora foi consoladora, conselheira, mestra, companheira e guia do povo brasileiro que hoje te agradece de coração porque vacina sim, ciência sim e Nossa Senhora Aparecida junto salvando o povo brasileiro”, disse.


Motociclista quebra dedo de policial durante abordagem em Americana

Notícia Anterior

Guardas salvam bebê de 10 meses que estava engasgado

Próxima Notícia

Aproveite e leia também

Comentários

Não é permitido comentar nesta notícia.

Mais em Cotidiano